domingo, 8 de julho de 2012

Mulheres que Amam de Menos



Eu quero dar meu depoimento. Creio ter um problema. Se mulheres que amam demais são aquelas que sufocam seus parceiros, que não confiam neles, que investigam cada passo que eles dão e que não conseguem pensar em mais nada a não ser em fantasiosas traições, então eu preciso admitir : sou uma mulher que ama de menos.

Eu nunca abri a caixa de mensagens do celular do meu marido.

Eu nunca abri um papel que estivesse em sua carteira.

Eu nunca fico irritada se uma colega de trabalho telefona pra ele.

Eu não escuto a conversa dele na extensão.

Eu não controlo o tanque de gasolina do carro dele para saber se ele andou muito ou pouco.

Eu não me importo quando ele acha outra mulher bonita, desde que ela seja realmente bonita. Se não for, é porque ele tem mau gosto.

Eu não me sinto insegura se ele não me faz declarações de amor a toda hora.

Eu não azucrino a vida dele.

Segundo o que tenho visto por aí, meu diagnóstico é lamentável: eu o amo pouco. Será?

Obsessão e descontrole são doenças sérias e merecem respeito e tratamento, mas batizar isso de "amar demais" é uma romantização e um desserviço às mulheres e aos homens. Fica implícito que amar tem medida, que amar tem limite, quando na verdade amar nunca é demais.

O que existe são mulheres e homens que têm baixa auto-estima, que tem níveis exagerados de insegurança e que não sabem a diferença entre amor e possessão. E tem aqueles que são apenas ciumentos e desconfiados, tornando-se chatos demais.

Mas se todo mundo concorda que uma patologia pode ser batizada de "amor demais", então eu vou fundar As Mulheres que Amam De Menos, porque, pelo visto, quem é calma, quem não invade a privacidade do outro e quem confia na pessoa que escolheu pra viver também está doente.


Martha Medeiros



*****
Nota: No meu primeiro casamento, eu fui uma "mulher que amava demais". Controlava cada passo, cada respiração, cada piscada de olho. E até que durou muito: 10 anos juntos. Coitado... hahahaha! Perdi o meu tempo, minha energia, meu amor próprio.

Quando uma pessoa quer trair, ela trai. Não importa quantas armadilhas você espalhe pelo mundo. E não importa o lugar, o dia e a hora, ela trai. Isso é FATO.
Hoje "amo de menos", e sou realmente mais feliz, independente, em paz. 
Meu marido também me "ama de menos", ufaaaa! Eu não suportaria alguém no meu pé o tempo inteiro.

Ciúmes existe, claro... normal. Mas, não torna ninguém fiel.
Respeito e confiança são fundamentais. Senão, tchau. Ninguém é obrigado a estar com ninguém... graças a Deus!


Veja mais sobre o ciúmes, aqui - via Revista NOVA.


Doces beijos!




"Com o tempo você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela."


11 comentários:

rose japan disse...

OLá Cici, eu tbm amo de menos então me acho bem normal.

bjinhos rose jp

Vivendo um sonho disse...

Olá...

Adorei seu post, eu também na verdade sou uma mulher que ama de menos.Não vejo necessidade nenhuma de ligar a toda hora para saber onde está, se já chegou se vai demorar, meu noivo tem um filho e quando é preciso ele resolver algum problema com a mãe do menino, não fico igual uma louca surtando para saber por onde e anda e o que anda fazendo, e um monte de coisas mais que vejo por aí que outras fazem e eu simplesmente não faço.
Minhas amigas dizem que isto é falta de cuidado mas eu acho que isto é prova de respeito e segurança comigo mesma, afinal quando nos respeitamos, quando nos valorizamos não precisamos ficar no pé de ninguém as coisas fluem normalmente e o relacionamento fica muito mais tranquilo!!!

Bjkas

Adriana Balreira disse...

Chego a uma conclusão: sempre amei de menos! Acho que tão de menos que os homens pensam que nao os amo? Será? Detesto pegar no pé, ligar, procurar, se quiser que venham. Nunca tive ciúmes de ex, de filhos, sou muito na minha. :)
Beijos
Adriana

Kellen Bittencourt disse...

Oii Cici, amei o texto da Martha e seu depoimento, acho que amo bemmmm de menos tbém, podemos fundar juntas essa associação rsrrs Bjoooosss

Bárbara Scarlett disse...

Que coisa não? realmente é interessante esse texto, eu tb amo de menos, já amei d+ e não adiantou estou sem a pessoa...rs...então hj desde 2007 eu amo de menos e isso me faz feliz tb.
bjus

Sílvia disse...

Oi Cici, eu também amo de menos, pois não controlo a vida do meu marido, apesar de 29 anos de casados, temos uma vida maravilhosa e com o amor do início, ao contrário de outros, nos amamos e sim temos ciúmes um do outro mas tudo na normalidade, amei o texto.
Bjos.
Silvia.

rosiarts disse...

Cici querida ,depois de tudo que li, nem sei o que escrever, estou boque aberta. Mas vamos lá, acredito que amor é amor e esse negócio de exageros pode ser doença mesmo. Tem um versículo bíblico que descreve o amor. E uma das coisas que está lá é que o verdadeiro amor não arde em ciúmes... quem ama de verdade quer o bem do seu amado e controlar tudo já é loucura, pois assim como queremos ser tratados, devemos tratar o outro também. Bjus, Rose.

Gabrielle de Almeida Ramos disse...

Oi amiga, lindo o texto, já conhecia, mas sempre é bom reler o que é bom.
Também amo de menos. Nunca - graças a Deus - fui de querer saber senhas, remexer nas coisas e questionar com quantas e quais eles teve. O importante é o agora e o confiar.
Posso ir para Marte e ficar lá o tempo que for que sei que quando voltar, tudo vai estar do jeito que deixei e com o amor ainda maior.
Bom assim né?!
Beijos, boa segunda pra você.
Gabi.

Eu que fiz... ou quase isso disse...

Oi Cici, estou um pouco atrasada, mas guardei este post até poder ler com calma, eu sou mulher que ama moderado rsrsrs, mexer no celular, carteira, não poder achar mulher bonita ou receber ligações de amigas, nada disso eu faço ou me incomoda, quando eramos solteiros sim, mas pq como vc disse quando a pessoa quer trair ela trai e pronto e sinceramente eu acho que galhos eu tinha aos montes kkk, mas depois de casada não tenho motivos para desconfiar, embora me irrite com algumas coisas tipo não perder o futebol todas terças e quintas, chegar um pouco mais tarde sem avisar, pois dar uma ligadinha não custa nada né, hoje eu super me amo, claro tenho minhas neuras etc e tal, mas me dou o devido valor sempre, afinal não sou só um pedaço de carne suculento, sou uma mulher com conteúdo tb, adorei sua abordagem.

Bjs

Gélia CArvalho

Monalise Nogueira disse...

Um relacionamento é baseado na confiança. Ser confiante em si e no seu companheiro é se amar!

Monalise Nogueira disse...

Ah gostei do comentario da Gélia rsrsrsrrs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...