sábado, 16 de março de 2013

Uma só, por favor!


Uma só.
Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.
A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade.

A gente sai pra jantar, mas come pouco.
Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.
Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').
Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta.
Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo.
Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...
Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão...

Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.
Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos.
Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate, um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Richard Gere, embrulhado pra presente. OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago...

Danuza Leão

12 comentários:

Rosana Remor disse...

ELA TEM RAZÃO.ELA SEMPRE TEM RAZÃO!!AF!!VOU ALI COMER UM MONTE DE GALINHA COM POLENTA E DORMIR A TARDE TODA. EU MEREÇO.BJS.

M de Maria Ateliê disse...

Oi Cici,
Esse texto é ótimo rs
Li um texto também sobre várias coisas que deixamos de fazer...e no final não tinha o Richard Gere rsrs mas dizia, 'já me privo de muitas coisas, porque vou deixar de comer brigadeiros???' sigo a risca! rs
bjsss
Ótimo finde com muiiiiito sorvete!

Fernanda S. Lucena disse...

Oi Cici
eu ameeeeeeeeeeei esse texto!
é super verdade a gente se priva de tanta coisa em nome 'do acertar, do politicamente correto', acaba perdendo algumas coisas mt boas!
N n podemos nem devemos exagerar pq tem consequencias né?!
Heheheheheehehehhe


Bjooos e bom final de semana!

muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

Beatrix disse...

Que texto maravilhoso! Tava precisando ler algo assim, pois tenho vivido muito pela metade, preciso me permitir um pouquinho mais de vez em quando... Obrigada Cici por compartilhar um texto tão legal assim com a gente ^^

Cláudia ♥ disse...

Ai amiga....eu já conhecia esse texto e concordo profundamente.
Eu sou meio essa aí que quis fazer tudo certinho com medo de tudo e do que as pessoas poderiam falar.
Sabe, hoje vejo que perdi muito tempo na vida...muita gargalhada, muita bagunça (bagunça sadia).
E hoje as vezes acho minha vida sem esse tesão do texto.
Masssssss.....
Vamos indo...rss.....ainda dá tempo!!!
Beijo grande e um lindo findi ♥

Lilicutes disse...

Ameeeeei o texto!! Ja enfiei muito o pe na jaca e fiz muitas coisas que queria e qdo tinha vontade, mas depois que casamos e temos filhos ai vem essa restricao toda. Nao me arrependo de quase nada rsrsrs esse quase esta sublinhado e subentendido rsrsrsrs Abafaaaa! rsrsrsrs

Bjs minha linda,

Kaku

Andreza Castela disse...

Absolutamente certa!
Ser a politicamente correta o tempo todo é chato mesmo, mas sabe que isso acaba se enraizando em nossa alma que fica dificil sair do "correto"
Eu por exemplo, desejo fortemente ser a mãe perfeita e sem erros... Impossivel hã!
Agora Richard Gere pra presente, isso eu tbm quero!
Amada te adoro! Obrigada pela amizade!
Tenha um lindo domingo em família
Beijos e abraços

Zizi Santos disse...

Esse texto e pra mim, é?
das cinco bolas de sorvete? hahahahahaha
Cici, ....
não vou falar mais, senão vc vai ficar brava comigo!
A vida é para ser vivida, você tem razão
bjs
Zizi

Jack Lins disse...

Cici, ótimo seu post.
Estou deixando de ser "politicamente correta" e, mas eu, e isso tem incomodado tanto as pessoas..vivemos numa sociedade onde não importa se você é feliz, o que importa é você ser uma "máquina", e isso eu já deixei claro que não sou...ando, inclusive, sendo taxada de gorda, por comer meu pote de sorvete de limão...e, resolvi que não vou mais me preocupar...vou é ser feliz.
Tenha um ótimo domingo.
Beijos
Jack

Jack disse...

nesse calor ta vontade de mto sorvete hehehe
DEUS nos ajude huahuauh

Eu que fiz... ou quase isso disse...

Nossa adolei, tava aqui pensando nossa que tapa na cara a Cici ta dando na mulherada kkk, apesar de sonhar em ter um corpo mais bonito eu acho o máaaaaaaaaaximo quem se aceita com os quilinhos a mais conheço algumas mulheres assim e são super felizes viu!! agente que sofre,,, as vezes penso vou comer e não ficar nem ai, mas o marido fala viu kk aquele magrelo ....

A foto do seu preferido cunhado eu votei tah.

bjs

Gélia

Faniquito disse...

Oii, Cici.

Amei o texto e tb teu blog, liiiindo !!!!

Tanto q estou seguindo. hehehe

Beijinhos

Ana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...